Lumière! A Aventura Começa (Lumière! L’Aventure Commence)


Lumière! A Aventura Começa (Lumière! L’Aventure Commence), documentário histórico composto e narrado por Thiery Frémaux, 2016. 

ENREDO E AVALIAÇÃO: O vídeo não foi invenção dos irmãos Auguste e Louis Lumière, mas pode-se dizer que o cinema tenha sido. Entre 1895 e 1905, eles fizeram 1.422 extremamente-curtas-metragens utilizando sua criação, o cinematógrafo, e o diretor do festival de Cannes, Thiery Frémaux, escolheu 108 dentre os remanescentes, com 50 segundos cada, para apresentar a obra dos irmãos. Com imagens restauradas e trilha do compositor Camille Saint-Saëns, o filme se inicia com cenas dos operários saindo do expediente da fábrica dos Lumière em Lyon e depois avança em seções que mostram o cotidiano das famílias dos irmãos e de sua cidade, depois expandindo para o resto da França e para o mundo. No estrangeiro, é digna de nota a visita ao Vietnã, onde crianças pobres são mostradas de forma humilhante, correndo atrás de moedas atiradas por senhoras da elite colonial francesa, mas onde também se podem ver crianças maltrapilhas correndo sorridentes em busca da câmera que delas se afasta.
Mas não é só do cotidiano da cidade que se alimentavam os irmãos. Há seções destinadas a esportes, lazer, trabalho e comédia. Destaque para a família de artistas circenses amiga dos Lumière tentando encaixar seu espetáculo em apressados 50 segundos, e para as trapalhadas dos soldados em treinamento, que rendem um comentário irônico do diretor a respeito das derrotas militares da França.
Ao longo do documentário, o diretor mostra técnicas e truques de filmagem dos irmãos e destaca alguns pontos que hoje seriam considerados falhas, mas que contribuem para o charme do filme: as pessoas que fitam a câmera ou que perdem a naturalidade da interpretação por se saberem filmadas, o braço do cinegrafista que aparece empurrando um “ator” não convidado, e por aí vai…
No letreiro de despedida, mais um toque de graça do ator que conduz o quadro final da compilação. E, para não dizer que tudo é positivo, algumas das 108 peças podem cansar pela banalidade ou repetição.

TRAILER: https://youtu.be/hdg2YtK0ga4

 

Anúncios

Sobre Roberto Blatt

Sou formado em Engenharia Eletrônica pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP), tenho M.S. in Computer Systems and Information Technology pela Washington International University e MBA em Administração de Empresas pela FGV. Tenho mais de 25 anos de experiência profissional na área Administrativa Financeira, desenvolvidos em empresas nacionais e multinacionais dos segmentos automotivo, eletroeletrônico e serviços, vivenciando inclusive o start-up, dentro dos aspectos administrativos e financeiros e tendo atuado na gestão de equipes das áreas Administrativa, RH e Pessoal, TI, Financeira, Comunicação e Compras. Professor no Pós-Admn da FGV em Liderança & Inovação e Gestão de Pessoas. Para acessar meu blog com comentários e críticas sobre cinema, cliquem aqui ou, para artigos sobre Administração, Tecnologi a eresenhas de livros, em aqui .
Esse post foi publicado em Documentário, Filmes, História e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s